domingo, 15 de agosto de 2010

Planos...

Fiz muitos planos,
todos foram frustrados...


Eu planejei, tocar seu rosto,
Sentir sua pele...


Planejei sentir teu calor, sentir teu abraço...


Ter você ao meu lado pela eternidade,
isso também foi planejado.


O que eu nunca planejei....


Foi me evadir em seu beijo...
Permanecer no desejo de te abraçar,


Nunca planejei sentir saudade...
e que a minha felicidade seria teu olhar cruzar.


Eu nunca fiz estes planos...


E dentre os planos que eu nunca fiz, o maior
de todos eles foi eu te amar...


Nunca, nunca mesmo...
não fui planejar...


Por Jacqueline Lemos

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Já não consigo disfarçar

Ah todo mundo nota, todo mundo vai notar...
Se eu penso em você, logo vem aquele brilho no olhar...
Todo mundo vai notar, já não sei disfarçar...


Tento me iludir, tento me enganar,
Já não posso fugir desse vício de te amar...
Tento me iludir, tento me enganar,
Nem consigo disfarçar.


Todo mundo nota, todo mundo vai notar...
Quando eu vejo você, ah... aquele brilho no olhar,
Já não consigo disfarçar.


Por Jacqueline Lemos 

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Sinestesia de Você


Um reflexo... você
Um sonho... Você
Um desejo... você


Já não compreendo o porque...


Todas as respostas me levam a perceber,
Que todas as perguntar me levam ate você,


Tudo nessa vida apenas me faz entender,


Você é a magia que encanta tudo o que eu quero dizer.


Por Jacqueline Lemos

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Já faz tempo

Já faz tempo que ouvi as batidas de um coração...
Já faz tempo que chorava ao ouvir aquela canção...
A já faz tempo... Já faz um tempo grande e bom.


Naquele tempo, foi tão grande a emoção,
Naquele tempo saltitou meu coração,
Mas já faz tempo, já faz um tempo grande e bom.


As vezes da uma saudade daquele tempo,
As vezes da uma saudade...
Mas já faz tempo...


Naquele tempo eu ouvi as batidas do seu coração,
Naquele tempo foi intensa tal emoção...
Pena que já faz tempo, um grande e bom tempo.


É só pena, que este tempo não voltou, é só pena,
Não é amor... faz tempo...


Por Jacqueline Lemos

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Desnecessário

Já não sei o sentido da solidão...
Já não sei o sentido dessa doação,
Já não sei o sentido da saudade,


Quero mesmo alguém que me enlace,
Quero mesmo alguém que me abrace,
Quero mesmo alguém...


Meu alguém não está aqui...
Meu alguém custa muito a se apresentar,
Imploro por este alguém...


Venha logo em meu abraço pousar...
Venha, eu anseio pela sua presença,
Anseio por te amar...


Venha meu alguém,
Não demore, não custe mais a chegar...


Por Jacqueline Lemos

domingo, 8 de agosto de 2010

Sombras

Me perco em sombras, me perco em vestígios...
Me perco em rastros de quem um dia pensei amar...
Me perco em mim mesmo, nem posso hesitar,


Tudo tão escuro, mal posso enxergar...
Me perco em rastros de um olhar...
Me perco no pecado de desejar,


Me perco em ser humano,
Me perco em confiar,
Me perco, me perco, querendo me encontrar...


Eu só me perco, me perco...
Mal posso me achar...
Eu só me perco, me perco...


Me perco nestes olhos...
Olhos que nunca, jamais deixei de olhar.
Você me enganou, eu soube me vingar.


Me perco em sombras,
que a luz vai dissipar.


Por Jacqueline Lemos

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Não importa...


Hoje eu não vi o teu rosto, nem ouvi tua voz...
Não importa, dos meus sonhos você não foi embora jamais.
Hoje eu acordei e senti frio, vi o meu quarto vazio...
Não importa, quando você me abraçar todo esse frio vai passar.
Hoje eu entendi que era necessário sofrer, pra te compreender...
Não importa, amanhã vamos rir disso tudo e vamos viver.
Hoje eu percebo que o destino a ti me entregou, Deus me abençoou...
Não importa, se alguém vier me confundir estou seguro, 
Já tenho as respostas, não vou desistir.
Nada mais importa, a não ser você pra mim e eu pra você.
Nada mais importa, Deus me deu você.
Deus me deu essa alegria de viver.


Te amo  ♥


Por Jacqueline Lemos

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Egoismo em Aceitação

Já não suporto a dependência de você...
Já não suporto esse vício de viver...
Já não suporto esse desejo...


Teu brilho no olho...
A tua excitação...
Me deixa louca de vontade,
de viver essa emoção...


Já não suporto a tua mente confusa,
Já não suporto tua infantil-idade ...
Sabe que me deseja, sabe que me almeja,
Mas é tão egoísta que não quer viver essa verdade.


Sabe que posso te aprisionar na maneira de me amar,
sabe que já esta a caminho de se apaixonar...
Não suporta a idéia de me amar.
Não suporta a idéia de me necessitar.


você vai me pagar.


Por Jacqueline Lemos

domingo, 1 de agosto de 2010

Nem era Você...

Acordando de um sono profundo, eu pude recordar, que toda aquela cinestesia
de viver, havia de passar...
Que todo encantamento, era flexível, e todo misticismo veio a erupção...
Todo Desejo reprimido, estava fora de cogitação.

Acordado eu percebo, que sonhos agente sonha todo dia...
Que desejos, trazem tristeza muitas vezes, e em algumas delas alegrias...
Que felicidade é eterna, mas sofrimento é opcional.

Monotonia é coisa de gente que esta fora de sua própria sintonia.
Melancolia é coisa de gente, fria e sombria...

Eu sou mais amor próprio, em minha ousadia.
Eu sou mais eu, porque você... você foi embora junto com a ventania.
Temporadas de Mistérios, Temporadas de Alegrias,
Temporadas de Novidade e Ousadia.

Por Jacqueline Lemos

domingo, 25 de julho de 2010

Areia e Mar

Eu quero te molhar, eu quero te inundar...
Bonita é esta areia que banho com meu mar...
Eu te sinto, você me toca, e juntos vamos
navegando ao luar...


Tão perto, Tão longe...
O importante é te amar,
Te amando entre tanto,
eu consigo eternizar esse vasto oceano,
pra mais longe poder nadar...


E nadando eu percebo que não consigo
me afogar, pois na areia é meu sossego,
Minha areia eu sou teu mar...


Sempre junto, sempre perto
e pela eternidade, vamos ficar.


Por Jacqueline Lemos

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Procura-se Sapo Encantado

Espera-se da vida o que a vida não pode nos dar,
Sonha-se sonhos, e nem sai a fora a procurar,
Desejam-se desejos que nem ao menos irão se realizar.

Uma coisa almeja-se conquistar, tantos desejos
quantos puder contar.
vive-se a vida, e vive agora, querendo que a vida não se vá.

Nem se pode ir embora, sem antes projetos terminar.
Fica aqui, vamos planejar.
Porque agora um lindo sapo quer-se amar, cuidar e encantar.

Outrora um belo príncipe tornará, espera-se assim sucederá.


Por Jacqueline

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Ausência Indesejada

♥Você foi embora, mas não quis se despedir...
Me deixou e agora, nem consigo decidir...
Se fico ou se tentarei não mais fingir...

Tua ausência me apavora,
Já não posso mais mentir,

Der-repente, você vai voltar,
Der-repente ao meu lado é o seu lugar...

Uma coisa é certa, está ausência não
Planejada, nem pode continuar...

Ou você volta, ou alguém toma o teu lugar. ♥


Por Jacqueline Lemos

domingo, 18 de julho de 2010

Eu não sabia...

♥Eu não sabia, que ganharia mais cores e acenderia o meu dia...
Eu não sabia, que sentira as flores e viveria a alegria...
Eu não Sabia, que quando ouvisse teu nome esmoreceria...

Agora Sei que quando o amor acontece,
tudo se renova, e a noite se engrandece...
Quando o amor acontece, agente vira anjo
cria assas, flutua sem stress...
Quando o amor acontece,
Agente simplesmente esquece, de tudo que agente
sabia antes de o amor acontecer...

Eu não sabia... agora sei,
 amo você ♥

Por Jacqueline Lemos

sábado, 17 de julho de 2010

Sementes

Agente planta árvores, mas agente nunca espera para velas crescer...
Agente colhe frutos, mas eles nunca são bons o suficiente antes de amadurecer...
Enquanto maduros, atraentes... se já aprodeceram não servem mais pra agente,


Agente vê quando a folha cai, mas nunca se lembra de ir la fora recolher...
Agente vê quando o tempo se vai, por que a cada estação a planta pode florescer,
Mas se o tempo parasse, tudo iria padecer, se a flor murchasse, murcharia essa alegria de viver...


Quando agente joga fora os caroços, agente nunca lembra que eles podem germinar e crescer...
Mas quando eles brotam em terra molhada, crescem bonitos, fortalecidos, firmes sem medo de esverdecer...


Eu fui um desses caroços, fui uma dessas sementes,  ... outrora jogada, lançada, germinada...
Hoje brota, enraizada, firme e persistente...


A chuva me Molha, o Sol me aquece, a brisa do vento me embriaga, o som do tempo me entristece
Eu quero de volta o meu semeador, volta pra minha flora, volta pra minha cor.


Por Jacqueline Lemos

sexta-feira, 16 de julho de 2010

O Não Pensar

Quando muito penso, eu bem não penso que o pensar em demasia me mal faz. 

Eu sempre penso, quando em paz eu penso,
Alegria tu me apraz.

Sem pensar intento, que o melhor momento é quando se pensa em não pensar...
Sem raiz de pensamento, sem ar de entendimento, algo a brisa consigo traz.

Quer pensando, quer amando, quer buscando ou indagando...
Não pensar melhor me faz...

      Sem pensar eu vou andando, sem ressentimento,
           sem engano, pois não penso, 
logo mal não faz.

                                                                       Por Jacqueline Lemos

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Ama-Me


Ama-me como se o dia não fosse terminar,
Ama-me como se seu ultimo suspiro fosse eu te abraçar,
Ama-me como se não houvesse deserto,
Como se o incerto fosse o certo.


Ama-me pois sou teu amigo,
preciso de carinho, preciso de abrigo,
Ama-me, faz a minha alma iluminar,
Ama-me pois também preciso te amar.


Ama-me eu quero poder te eternizar,
lindas histórias na memória poder guardar,
Ama-me faz para mim um elo de amor para não mais quebrar.
Ama-me como se fosse necessário esse amor
Para poder o sol raiar

Por Jacqueline Lemos

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Folha Seca, Mente Seca


Eu ainda me lembro, ainda me lembro de quando chovia...
Eu ainda me lembro, ainda me lembro que houve alegria...
As folhas eram verdes, o orvalho escorria,
O fruto era doce, nunca amargo se fazia...
Mas ainda me lembro, me lembro de quando o sol nascia,
Eu ainda me lembro, de quando todas as rosas adormeciam,
Mas elas continham cores, tantas, tantas cores, onde
se achava ousadia...
Mas eu bem não lembro, de quando parou de chover,
Nem de quando parou de viver, a cor intensa em meu ser...
Eu queria lembrar, mas na sequidão de minha mente,
Mal posso me encontrar.
A folha cai, la fora cai... Quero mais chuva,
quero mais cores, antes que o tempo se vá, e
não posso mais voltar.

Por Jacqueline Lemos

domingo, 11 de julho de 2010

Solidão




Eu nasci sozinho, mas sozinho não posso viver,
Eu cresci sozinho, mas sozinho não sou com você,
A solidão é triste, enfraquece minha alma,
deixa meu sorriso impotente.
A solidão é carente, necessita de calma,
mas deixa o rosto descontente.
Queria não mais ser sozinho, queria demais
ter o carinho daquele que conseguiu me cativar.
Queria dizer alegre-mente, andar com brilho
nos olhos bem contente, olha... é muito
bom contigo estar.
Coração choroso, coração medroso...
Coração que definitivamente, sozinho
não pode ficar.


Por Jacqueline Lemos

sábado, 10 de julho de 2010

Não mais...



Brinquei de ser feliz, brinquei de amar você,
brinquei e fui alegre, mas também pude sofrer,
Brinquei, brinquei, me machuquei, mas eu brinquei,
...de coração alegre, fui la longe e ate cheguei...
Vinguei a Minha dor, vinguei o meu sofrer,
tive medo, mas brinquei, te fiz sofrer...
Não chore, eu não choro mais, não se
Desespere, eu não volto atrás,
Pensei que amei você, mas brinquei de te querer,
brinquei, brinquei, eu nunca te amei,
brinquei, brinquei, so carência sim bem sei...
È pena que você brincou, é só pena eu também,
brinquei, agente nem se ama, mas eu bem que tentei,
mas eu so brinquei, brinquei, te enganei.

Por Jacqueline Lemos

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Viu, la fora existe vida

Mas aqui dentro não tem saída, não tem cilada, não tem guarida.
Eu pensei que tinha remédio, que tomava jeito e sararia,
mas essa amor não sará, nem cicatriza, esse amor não para.

Vazio eu continuo andando, sem rumo, sem sossego, talvez seja engano.
continuo caindo, e sempre me levantando, continua vivo o amor, e
sempre se alimentando de esperanças, de lembranças.

Me sinto pequeno, miúdo, me sinto criança.
Meu sonho é ser amado, jamais perco a esperança.
Se é preciso cicatrizar o passado, eu suturo a ferida
e ela sara. Pra fazer um novo começo, uma jornada feliz da vida.

Porque quando o dia amanhecer, vais saber que me amas, tanto quanto eu amo você.


Por Jacqueline Lemos

quinta-feira, 20 de maio de 2010

a não presença

Temporadas desvairadas são antepostas
a metamorfose do penar da alma desvalida.
Circunstância tal qual se modificou o
enunciado atual, por não ser assim surpreendida.
Enquanto o tempo passa, la forá a vida passa,
mas eu sempre soube que esse amor não virou fumaça.
Embora compreenda que assim sucederá, não se poder fazer juz,
quando o amor acabará?
Quem sabe nunca passe, quem sabe não acabe,
quem sabe é tudo um sonho, são faiscas em um coração risonho.
Um dia eu vou acordar, te amando mais, ou talvez não te amar.
Um dia tudo se esclarece, agente vive, agente cresce.
Um dia eu vou reconhecer, que foi bom o tempo que eu amei você.
Que se foi, era porque deveria ter sido,
Se não foi, porque não poderia ser.
Ainda aceso o meu candelabro, o coração angustiado,
esperança quer não se fora vive presente no passado.
Esperança que agora é o meu pecado.
*Eterno apaixonado*

Por Jacqueline Lemos

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Desprezo e Paixão

Vás embora e me deixa seguir por estas águas turbulentas,

Vás embora e me deixa ser livre, liberta minha alma dessa paixão.

Eu te Desprezo, a Deus eu rezo, pra viver livre o meu coração,

Eu te Desprezo, a Deus eu rezo, pra que corras da solidão.

Não voltes mais, me deixa em paz, Não embriagues meu coração...

Não volte atrás, eu quero é mais, que você morra na solidão.

Ainda lamento, que em pensamento, sejas a unica inspiração.


Por Jacqueline Lemos

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Amor Fingido, Amor Bandido...

Eu amo teu jeito de me cativar, eu amo teu jeito de me amar!!

Não faço tudo por você, por que você não parece merecer...
Não troque ela por mim, porque eu jamais te aceitaria assim...
Não diga que me quer, porque eu bem sei como é que é...
Não diga que me deseja, porque eu nem provei cerveja...
Não pense que me domina, porque eu não sou menina...


Não corra atrás de mim, você pode tropeçar e cair...
Não atenda meu telefonema, pode ser a Guange do pena...
Não tente ser meu amigo, eu não vou ser legal contigo...
Se eu cair nem olhe pra trás, porque se doer em mim em você dói mais...

Se eu tiver fome, finja que esqueceu meu nome...
Se eu pedir abrigo, tente ser meu inimigo...

Não chame meu nome, não chame por mim...
Fique longe se não quiser ficar sem sorrir...
Eu sou veneno, sou fogo que consome...

Eu sigo te amando, e aos poucos te matando...
Pra que fiques bem longe, bem longe de mim...
Eu te quero, e já me desespero...
Porque eu não quero precisar de ti...

Eu te desejo, e morro com teu beijo...
Por isso eu ja desisti...
Não tem mais volta, eu disse la na porta...
Mas porque você quer insistir...

A esperança nunca se foi...
Você sofreu com o abandono meu...
Se lamentou e ate me perdoou...
Mas eu, eu , que nunca vou querer esse teu amor!!

Amor fingido, amor bandido que quase me matou.



Por Jacqueline Lemos

terça-feira, 20 de abril de 2010

Desejo

Meus sonhos são interrompidos por você...
Minha Sina é te querer,
Não da pra seguir meu rumo sem sentir,
O toque do teu perfume Junto a mim.

Eu Lamento, eu juro que eu tento...
Mas não consigo resistir,
Eu invento, eu juro que tento desistir!

Eu não vou mentir, eu não sei fingir,
Posso andar até a lua, mas não vais sair,
do meu sentimento, do meu desejo, do meu pensamento.

Eu fui pra longe, pra muito longe eu andei,
vaguei sem destino, e quase me encontrei,
Mas perdida e num abismo sem fim,
E esse desejo que me consome e me faz querer fugir,

Desistir de tudo, desistir de mim, desistir da vida,
por não ser forte ao ponto de encarar e culminar essa paixão,
por não ser forte ao ponto de enfrentar de uma vez essa solidão.

Desmoronam barreiras, desmancham dunas de areias, de trilhões
de emoções em explosão de sentimento, Desejo pleno.

Querendo me evadir eu me sinto sumir :(

Por Jacqueline Lemos

terça-feira, 23 de março de 2010

Em teus olhos...

Estes mesmos olhos que me mostrarão o amor,
trouxeram consigo a dor de um perdão.
Os mesmo olhos que me deram o carinho,
me trouxeram desprezo e solidão.
Estes olhos me procuram anexos a um sorriso,
Descaramento, agrupado ao meu discernimento de cinismo.
Amor insuficiente, para distribuir sorrisos é o amor meu.
Teu sorriso me fascina, mas não é a minha sina de gueixa
menina, que se deixa esmorecer e
voltar a galopei-os aos teus abraços.
A soberba de meu ego, nos afasta.
O carinho um elo forte, inquebrável.

És meu sol em todas as manhãs, o teu cheiro me acompanha,
Teu veneno me embriaga, teu brilho no olho, me deslumbra.
Teu cuidado me reprime, do amor próprio.
Tens o mesmo brilho de antes, tens o mesmo cuidado de sempre,
Como não ter havido passado, como passado extinto.
Tua voz me apavora, tua alma me devora.
Es amor, eterno amor. Es sabor, es minha doçura
anelada até a eternidade!

Por Jacqueline Lemos

domingo, 21 de março de 2010

Assim depois de mim...

Doe de mais, amar e não ser capaz...
Uma vez, e não mais outra vez...
Eu tentei, desvendei, outrora eu andei,
Caminhei ao longe, eu te amo, sempre amei.

Machucar é fato, sofrimento é dano e há reparo,
Porque consentes, esse vazio insolente,
Afaga minha alma, acalenta meu interior,
Te amo, te quero, te preciso, Meu amor,

Se doeu, foi sem querer, tive medo de te ter,
De te amar intensamente, ate minha alma esmorecer.
Eu não cria que podia de uma vez me arrepender.
Não cria que um dia poderia enlouquecer.

Obsessão sem razão, incerteza sem direção
Caminhos, descruzados, cruzamentos remodelados,
Só eu fiz você duvidar, só eu fiz você amar,
Só eu fiz confusão dentro do seu coração.

Se existiu perdão, haverá outro então,
Só me resta entender que não pode haver,
Perigo, risco eminente de me prender,
De morrer de amo por você, e não pode ser.

Não faz sentido ao meu parecer.

Por Jacqueline Lemos

sexta-feira, 19 de março de 2010

È assim que é.


Quando entregamos nossas almas não tem volta, passe o tempo que passar
Quando agente olha nos olhos, saem faiscas, não há como evitar
Sua presença me faz frenética em amor, minha presença te enche de calor
Loucura intensa, é a nossa sentença por não culminar, desejo eterno, incomensurável amor

Por Jacqueline Lemos

terça-feira, 16 de março de 2010

Estações, Concepções, Realizações...

Lugares, momentos, circunstâncias.
a encarecida ausência que afaga o meu alento.
sinônimos de ombridade, longevidade de semelhanças
acesas por vagalumes, em campos verdejantes.


Tesouros em noites de euforia, fortunas em trilhas de monteiro.
buscar-me vais e ao longe levais essa inconstância de sinestesias,
anexadas aos paralelos do realizado.


A morte se deu por fim do congruente, entrelaçado ao fio
de água da semente do canto do ar e das auroras da minha alma.


A ressurreição se da por morte inexistente e conflito,
eminente de doação existêncial, de afeto e percepção de
reciprocidade.


Sentidos aguçados, artigos pré armados, pra não mais esmorecer,
fortaleza é minha alma, que não me fez padecer.
ansioso abriga e me conforta até um outro sol nascer.


Aqueçe minha vida, alenta meu suspiro, esvanece meu ser sofrer.


Por Jacqueline Lemos

segunda-feira, 15 de março de 2010

Medo Medo Medo


      O sacrificio se da por medo, medo de ser feliz...
a existência do inexplicado, o que outrora foi adiado, hoje culminou por explodir...
quem será, o qual saberá que tipo de mistério a mim trará, o enigma desse momento.
quantos, quantos olhares e mais olhares e ainda não me sai do pensamento,
sentimento limpo, sentimento sujo, puro, malígno, ingênuo. Sentimento mutuo, desejo pleno, e o medo que da alma traz veneno...
Entorpece o semblante diante de tamanha atrocidade, que culpa? que vergonha? que medo? que insanidade...
que falta? que carinho? que sinceridade?
Foi amor? foi ternura? medo de ser sozinho... ou mera casualidade, mas o que se sabe é que se sente, como veneno invade a alma dagente, fazendo-nos meros escravos, escravos de um desejo, escravos de uma paixão, atormentados pelo medo e o desprezo de ambos, a desiluzão, o desapontamento...
Enquanto se deseprezam são corpos que se amam, que se atraem cada vez mais para juntos de um abismo, que se um dia for aberto, não fechará jamais...
O maior medo de todos os medos é que esse amor aconteça... medo de que a liberdade apodreça, na esperança de um mero ar de insanidade e combustão...
Meu desprezo, seu desprezo, meu desejo , seu desejo, o que ja era vivo expandiu-se com um beijo, ardente paixão... louco desejo.

Por Jacqueline Lemos

terça-feira, 9 de março de 2010

Amor de Papel

Amassado, picotado, estirado ou tirinhas...
colorido, borrado ou mesmo desenhado e com letrinhas...
era assim que eu me achava, era assim que me econtrava...
quando em dias de escritura minha alma refletia,
tintas brancas, tintas negras, tantas cores de uma vez,
foi naquele ateliê que eu te amei aquela vez...

Onde esta a tesoura, onde esta o apaga-dor?
corte fora esse episódio, ou apague a minha dor!!
quero grampos cor de rosa, pra grampear meu sofrimento,
e quem sabe de uma vez terminar esse tormento.

Onde esta o meu tinteiro? quero logo terminar,
de uma vez com essa prosa pra meu coração chorar,
chora muito, chora pouco, ate molhar todo o papel,
o pranto é imenso que ele desmancha igual mel.

Pego logo as minhas chaves, fecha logo o ateliê,
me leva embora pra bem longe, vou tentar me esquecer,
que desde aquele dia, desde aquele canto,
eu não vejo outro tanto, não vejo outra história porque não me sai da memória,
tudo que você me fez escrever... não me sai da memória, que eu amei você!!

Por Jacqueline Lemos

segunda-feira, 8 de março de 2010

Faria sentido assim?


Se eu te amasse no outono
Se eu te amasse no verão
Se eu te amasse no inverno
ou em outra estação
Faria sentido assim?

Se eu não tivesse frio
se eu não me sentisse vazio
Se eu não buscasse a tua voz
pra me preencher,
Faria sentido assim?

se a noite fosse dia
e a esperança vazia
se você não trouxesse
essa luz pra dentro de mim,
faria sentido assim?


Mas você me amou vazio,
perdido triste e sombrio
sem aparência, sem elegância,
você me amou naquela circunstância...
você me amou de cabelo arrepiado...
coração rachado, amou meu ego, amou meu eu.

Agora faz sentido, eu achei meu ombro amigo
que um dia se perdeu...
Agora tenho esperança que toda essa confiança,
nunca esmoreceu, só estava adormecida e você
a trouxe de volta a vida, a fez reviver...

Eu tenho pressa, eu não tenho culpa,
eu te amo e nem é uma desculpa.
faça de novo meu amor ascender,
faça de novo esse sentimento valer.

Por Jacqueline Lemos

domingo, 7 de março de 2010

Devaneio

O jeito que o teu olhar encontra o meu, desarma toda minha estrutura, o jeito que sua voz chama meu nome revela toda sua doçura, eu amo o seu carinho, amo sua atenção me abraça com teu jeitinho e me enche de emoção, ai que saudade me dá, saudade desse amor teu, saudade do teu cheirinho misturado ao meu, saudade eu sinto por demais, saudade de estar ao lado teu, saudade que bateu a minha porta trazendo o meu amado. Ai que aflição, tamanha desesperança que coisa mais absurda, parece uma criança. Eu vi como você sentiu, eu vi como você me olhou, vive falando por ai que nunca me amou, mas não nega o que sente quando eu invado a sua mente, não nega o que sente quando me abraça intensamente, não nega que precisa de mim, não nega essa loucura sem fim, não nega que eu sou seu jasmim... Amo o jeito que você olha pro céu, amo o jeito que acaricia uma flor, amo tudo que eu colhi desde o dia em que você me amou, eu amo a intensidade dessa paixão, eu amo que com você nunca houve solidão, eu amo sua presença, e todo seu encanto, eu amo a cor do seu amor, eu amo o seu canto. Quem me derá, ser mais forte e te amar um pouco mais, lutar por esse amor e nunca deixar atrás, quem me dera ir enfrente e deixar de reprimir gritando pela rua pra todo mundo ouvir, que eu te amo loucamente até a lua no chão cair...


Por Jacqueline Lemos