domingo, 21 de março de 2010

Assim depois de mim...

Doe de mais, amar e não ser capaz...
Uma vez, e não mais outra vez...
Eu tentei, desvendei, outrora eu andei,
Caminhei ao longe, eu te amo, sempre amei.

Machucar é fato, sofrimento é dano e há reparo,
Porque consentes, esse vazio insolente,
Afaga minha alma, acalenta meu interior,
Te amo, te quero, te preciso, Meu amor,

Se doeu, foi sem querer, tive medo de te ter,
De te amar intensamente, ate minha alma esmorecer.
Eu não cria que podia de uma vez me arrepender.
Não cria que um dia poderia enlouquecer.

Obsessão sem razão, incerteza sem direção
Caminhos, descruzados, cruzamentos remodelados,
Só eu fiz você duvidar, só eu fiz você amar,
Só eu fiz confusão dentro do seu coração.

Se existiu perdão, haverá outro então,
Só me resta entender que não pode haver,
Perigo, risco eminente de me prender,
De morrer de amo por você, e não pode ser.

Não faz sentido ao meu parecer.

Por Jacqueline Lemos

Nenhum comentário:

Postar um comentário