domingo, 7 de março de 2010

Devaneio

O jeito que o teu olhar encontra o meu, desarma toda minha estrutura, o jeito que sua voz chama meu nome revela toda sua doçura, eu amo o seu carinho, amo sua atenção me abraça com teu jeitinho e me enche de emoção, ai que saudade me dá, saudade desse amor teu, saudade do teu cheirinho misturado ao meu, saudade eu sinto por demais, saudade de estar ao lado teu, saudade que bateu a minha porta trazendo o meu amado. Ai que aflição, tamanha desesperança que coisa mais absurda, parece uma criança. Eu vi como você sentiu, eu vi como você me olhou, vive falando por ai que nunca me amou, mas não nega o que sente quando eu invado a sua mente, não nega o que sente quando me abraça intensamente, não nega que precisa de mim, não nega essa loucura sem fim, não nega que eu sou seu jasmim... Amo o jeito que você olha pro céu, amo o jeito que acaricia uma flor, amo tudo que eu colhi desde o dia em que você me amou, eu amo a intensidade dessa paixão, eu amo que com você nunca houve solidão, eu amo sua presença, e todo seu encanto, eu amo a cor do seu amor, eu amo o seu canto. Quem me derá, ser mais forte e te amar um pouco mais, lutar por esse amor e nunca deixar atrás, quem me dera ir enfrente e deixar de reprimir gritando pela rua pra todo mundo ouvir, que eu te amo loucamente até a lua no chão cair...


Por Jacqueline Lemos

Nenhum comentário:

Postar um comentário