terça-feira, 23 de março de 2010

Em teus olhos...

Estes mesmos olhos que me mostrarão o amor,
trouxeram consigo a dor de um perdão.
Os mesmo olhos que me deram o carinho,
me trouxeram desprezo e solidão.
Estes olhos me procuram anexos a um sorriso,
Descaramento, agrupado ao meu discernimento de cinismo.
Amor insuficiente, para distribuir sorrisos é o amor meu.
Teu sorriso me fascina, mas não é a minha sina de gueixa
menina, que se deixa esmorecer e
voltar a galopei-os aos teus abraços.
A soberba de meu ego, nos afasta.
O carinho um elo forte, inquebrável.

És meu sol em todas as manhãs, o teu cheiro me acompanha,
Teu veneno me embriaga, teu brilho no olho, me deslumbra.
Teu cuidado me reprime, do amor próprio.
Tens o mesmo brilho de antes, tens o mesmo cuidado de sempre,
Como não ter havido passado, como passado extinto.
Tua voz me apavora, tua alma me devora.
Es amor, eterno amor. Es sabor, es minha doçura
anelada até a eternidade!

Por Jacqueline Lemos

Nenhum comentário:

Postar um comentário